sexta-feira, 11 de abril de 2014

Fuzileiros Navais são ameaçados por traficantes na Ilha do Governador

   Rio de Janeiro (RJ) 
 - Alguns integrantes do Centro de Instrução Almirante Sylvio de Camargo (CIASC), foram a um bar da Ilha do Governador, ontem à noite. Notando o corte de cabelo, o dono perguntou se eram fuzileiros. Ao confirmarem que sim, foram orientados a se retirar pois, segundo o comerciante, a ordem dos traficantes é matar "qualquer naval que der mole na área".

Os militares querem que o comandante do CIASC libere a tropa do corte de cabelo e estão evitando andar com a identidade militar, assim como exibir brasões identificativos de qualquer natureza, em carteiras, mochilas, camisetas, etc.

Locais críticos, como a estrada das Canárias, alvo de arrastões, também estão sendo evitados.
Fonte: Blog do montedo
Comento:

   Fuzileiro Naval não é polícia, sua missão é defender a Pátria  com o sacrifício da própria vida, se preciso for. Combater traficantes é missão da Polícia Militar e Civil, no entanto essa situação está fugindo do controle de tais forças auxiliares aqui no Rio de janeiro, e foi solicitada a intervenção militar pelo próprio Governador, apesar de que há tempos que os militares já estão fazendo papel de polícia... 
   Uma pergunta: esses militares que estão fazendo o papel de polícia estão fazendo também jus ao ADICIONAL DE PERICULOSIDADE? Será que tem alguma autoridade se movimentando nesse sentido? Eis a questão, a vida deles está em jogo...!

5 comentários:

Anônimo disse...

Amarelar não pode!!! É GLO é uma das missões das Forças Armadas. Libera o porte de arma e ações de inteligência para identificar os ameaçadores.

Paulo Campos disse...

Afirmativo ! Porte de arma se faz necessário, para a própria guarda e em casa, a família e o patrimônio. É um paradoxo um jovem sair do Curso de formação fr SD e ter porte, ao passo que um FUZILEIRO NAVAL não tem. Eis a questão : Que se conceda porte aos militares estabilizados.

Paulo Campos disse...

Afirmativo ! Porte de arma se faz necessário, para a própria guarda e em casa, a família e o patrimônio. É um paradoxo um jovem sair do Curso de formação fr SD e ter porte, ao passo que um FUZILEIRO NAVAL não tem. Eis a questão : Que se conceda porte aos militares estabilizados.

Renato Bebissima disse...

Por isso sou contra esta porra de abaixar a cabeça para este Governo bandido, mas como as próprias autoridades já mandaram até FuzNav para fazer faxina na encosta dos morros de uma população suja, bandida e porca. Ai perde a essência de Forças Armadas, vira Forças Animadas, ou seja, alguém está sendo altamente animado para manter essa situação de ostracismo e falta de vergonha que vivemos, nós militares a mais de 26 anos.

Anônimo disse...

AS AUTORIDADES Q CONCEDEM O PORTE DE ARMA P/ OS PRAÇAS DA MARINHA TINHAM QUE TER UMAS AULINHAS COM O CMTE. DO EXÉRCITO E AERONÁUTICA, ALMIRANTES CONSULTEM SEUS COLEGAS DA AERONÁUTICA E EXÉRCITO, ELES SIM DÃO VALOR A SEUS PRAÇAS.